Avaliação de imagens de tomografia computadorizada com o uso do modulador automático de corrente: potencialidades e limitações

Giordana Salvi de Souza, Jéssica Villa Real, Ana Paula Pastre Froner, Ana Maria Marques da Silva

Resumo


A tecnologia disponível nos equipamentos mais modernos de tomografia computadorizada possibilita a modulação automática da corrente no tubo, conforme a variação de espessura da região anatômica estudada. Este estudo teve como objetivo avaliar os parâmetros quantitativos relacionados a qualidade da imagem produzida por um equipamento de tomografia computadorizada, com e sem a utilização do sistema de modulação de dose do fabricante. Para tanto foi utilizado um phantom Catphan 700, cujas imagens foram adquiridas em um tomógrafo Philips, com e sem o uso de modulação de corrente, utilizando um protocolo de crânio adulto. Os resultados mostraram um aumento de 20,8% do valor do CTDIvol e do DLP com o uso do modulador de corrente em relação às imagens adquiridas com o mesmo protocolo sem o modulador. Observou-se que o ruído da imagem com o uso do modulador teve o menor valor, assim como a maior resolução espacial, devido à maior dose fornecida pelo sistema de modulação de corrente. Não se observaram diferenças significativas na uniformidade e na exatidão do número CT e nem mesmo na linearidade. Conclui-se que o processo de otimização de dose que utiliza simuladores deve ser cuidadosamente avaliado, pois depende das configurações próprias de cada sistema de modulação de corrente assumido pelo fabricante. Apesar de supostamente buscarem a otimização de dose, tais sistemas podem produzir um aumento considerável de dose, sem modificar significativamente a qualidade da imagem para determinados protocolos.


Texto completo:

PDF

Referências


Jessen, K. a, Shrimpton, P. C., Geleijns, J., Panzer, W. & Tosi, G. Dosimetry for optimisation of patient protection in computed tomography. Appl. Radiat. Isot. 50, 165–72 (1999).

Goo, H. W. CT radiation dose optimization and estimation: an update for radiologists. Korean J. Radiol. 13, 1–11 (2012).

Parente, D. B. EDITORIAL O risco da radiação no uso indiscriminado da tomografia computadorizada. 46, 1–2 (2013).

Costa, P. R. & Azevedo-marques, P. M. De. Otimização da dose em exames de rotina em tomografia computadorizada: estudo de viabilidade em um hospital universitário*. 43, 241–248 (2010).

EUR. European Guidelines on Quality Criteria for Computed Tomography European Guidelines on Quality Criteria. (2000).

The, W. et al. C a t p h a n ® 700 M a n u a l CTP700. 1–42 (2013).

de Mello, R. D. et al. Radiodiagnóstico Médico Segurança e Desempenho de Equipamentos. (2005).

H. Imhof, N. Schibany, A. Ba-Ssalamah, C. Czerny, A. Hojreh, F. Kainberger, C. Krestan, H. Kudler, I. Nöbauer, R. N. Spiral CT and radiation dose. Eur. J. Radiol. 47, 461–468 (2002).

Freitas, E. N. P. Optimização de análise de imagens para Controlo de Qualidade em Imagem Médica. (2010).

Aldrich, John E., et al. "Radiation dose in abdominal computed tomography: the role of patient size and the selection of tube current." Canadian Association of Radiologists Journal 57.3 (2006): 152.

Finatto, J. D., Paula, A., Froner, P., Pimentel, J. & Maria, A. Estudo Comparativo De Descritor De Dose Em Exames Pediátricos De Tomografia Computadorizada. 1–9 (2014).

Supawitoo Sookpeng. Investigation of CT Dosimetry Techniques for Use in Optimisation of Automatic Tube Current Modulation (ATCM) Performance Supawitoo Sookpeng BSc (Hon ), MSc (Radiation Science). (2014).




DOI: http://dx.doi.org/10.29384/rbfm.2015.v9.n2.p18-22

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Brasileira de Física Médica



Revista Brasileira de Física Médica - RBFM

ISSN: 1984-9001

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia