Comparação entre técnica 3D convencional, field-in-field e compensação eletrônica para planejamento de manto

  • Laís P. Martins
  • Leonardo P. Silva
  • Cássia Trindade
  • Paulo L. Garcia
  • Maíra R. Santos
  • Delano V. S. Batista

Resumo

O tratamento com radioterapia externa de linfoma de Hodgkin na região acima do diafragma, requer um campo de radiação grande e com proteções de laringe, cabeça de úmero e pulmões. Esse formato do campo e sua grande extensão, que abrange diferentes DAPs, dificulta a entrega de dose homogênea. Técnicas como field-in-field e compensação eletrônica podem ser utilizadas para homogeneizar a dose e compensar a obliquidade do tecido. Três tipos de planejamento foram realizados para um paciente diagnosticado com Linfoma de Hodgkin do tipo esclerose nodular: um plano com dois campos, AP-PA (Plano AP), outro com quatro campos field-in-field (Plano FF), e o terceiro com dois campos e compensação eletrônica (Plano CE). Foram observados melhores gradiente, cobertura do PTV e distribuição de dose para o Plano CE, além da vantagem de este não necessitar da confecção dos blocos de proteção, enquanto os Planos AP e FF apresentam dosimetria mais simples e menos UM. Em relação à uniformidade da entrega da dose, o Plano AP apresentou áreas quentes na região do pescoço, o Plano FF apresentou áreas quentes na região dos ombros, e o Plano CE se mostrou mais uniforme sem áreas quentes. A compensação eletrônica é uma ferramenta útil para campos extensos e modelados como o campo de manto, mas deve-se levar em consideração a alta UM e a dosimetria mais complexa.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Martins, L. P., Silva, L. P., Trindade, C., Garcia, P. L., Santos, M. R., & Batista, D. V. S. (2015). Comparação entre técnica 3D convencional, field-in-field e compensação eletrônica para planejamento de manto. Revista Brasileira De Física Médica, 6(3), 145-148. https://doi.org/10.29384/rbfm.2012.v6.n3.p145-148
Seção
Artigo Original