Avaliação de Dose Absorvida na Tireoide em Exames de Mamografia

  • Rafael Vieira Silva Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR
  • Luanna Chrystie Bonifácio Alves Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR
  • Renato Bocamino Doro Complexo Hospital de Clínicas UFPR
  • Anna Luiza Metidieri Cruz Malthez Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR
Palavras-chave: mamografia, avaliação de dose, tireoide, radiologia, proteção radiológica

Resumo

A mamografia e a tomossíntese mamária são exames amplamente utilizados para o rastreio e diagnóstico do câncer de mama. Recentemente, foi questionado se o aumento do número de casos de câncer de tireoide está associado à radiação ionizante recebida, pela glândula tireoide, nos exames de mamografia. Embora diversos órgãos, tanto brasileiros como internacionais, tenham afirmado não existir dados que comprovem a correlação do câncer de tireoide com a realização de exames de mamografia, atualmente existem duas leis regionais afirmando que a utilização do protetor de pescoço durante esses exames previne o câncer de tireoide, porém sem nenhum embasamento teórico. Considerando essas regulamentações, neste trabalho foram avaliadas as doses absorvidas pela glândula tireoide em exames de mamografia 2D e tomossíntese mamária, com e sem o protetor de pescoço, visando verificar se o uso do protetor é benéfico ou não, do ponto de vista de proteção radiológica. Os resultados obtidos mostram que não se tem diferenças significativas entre as doses avaliadas na região da tireoide considerando o uso do protetor de pescoço. Deste modo, concluímos que o uso de protetor de pescoço durante a realização dos exames de mamografia 2D e tomossíntese não seria adequado, do ponto de vista da proteção radiológica, considerando a possibilidade de repetições dos exames que o protetor poderia causar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anna Luiza Metidieri Cruz Malthez, Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR

Departamento Acadêmico de Física - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Curitiba, Sede Centro. Av Sete de Setembro, 3165, Rebouças, Curitiba – PR. CEP: 80230-901

Referências

Kopans, Daniel. Mammograms and thyroid cancer: The facts about breast-cancer screening. [acesso em 20 nov 2018]. Disponível em: https://www.massgeneral.org/imaging/about/newsarticle.aspx?id=2720

Santos, Glenda; Chubaci, Rosa. O conhecimento sobre o câncer de mama e a mamografia das mulheres idosas frequentadoras de centros de convivência em São Paulo (SP, Brasil). Ciência & Saúde Coletiva. 2011;16(5):2533-2540.

American Cancer Society. Key Statistics for Thyroid Cancer. [acesso em 21 nov 2018]. Disponível em: https://www.cancer.org/cancer/thyroid-cancer/about/key-statistics.html

Instituto Nacional do Câncer. “Estimativa de Câncer no Brasil”. 2018.

O Estado de São Paulo (2016). Câncer de tireoide atinge principalmente mulheres entre 30 e 50 anos. Disponível em: https://emais.estadao.com.br/noticias/bem-estar,cancer-de-tireoide-atinge-principalmente-mulheres-entre-30-e-50-anos,10000053190.

Calmon, Elisa. Agora é lei: pacientes devem utilizar protetor de pescoço durante exames de raios x, tomografia ou mamografia. [acesso em 21 nov 2018]. Disponível em: http://www.alerj.rj.gov.br/Visualizar/Noticia/41430.

Wellness, Berkeley. Should You Use a Thyroid Shield During a Mammogram?. Disponível em: http://www.berkeleywellness.com/self-care/preventive-care/article/should-you-use-thyroid-shield-during-mammogram

Rafizadeh, Mitra. Is It Possible for Mammograms to Cause Thyroid Cancer? Journal of Cancer Prevention & Current Research, v. 2, n. 2, p. 1-2, fev, 2014.

Governo do Estado do Rio de Janeiro. Lei 7700/17 | Lei nº 7700 de 29 de setembro de 2017.

Governo do Estado do Paraná. Lei Nº 19483 DE 07/05/2018x

Publicado
2019-12-30
Como Citar
Silva, R. V., Alves, L. C. B., Doro, R. B., & Malthez, A. L. M. C. (2019). Avaliação de Dose Absorvida na Tireoide em Exames de Mamografia. Revista Brasileira De Física Médica, 13(3), 24-27. https://doi.org/10.29384/rbfm.2019.v13.n3.p24-27
Seção
Artigo Original