Atuação do físico médico e supervisor de proteção radiológica na rotina de um Serviço de Medicina Nuclear

Além dos controles de qualidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29384/rbfm.2021.v15.19849001640

Palavras-chave:

física médica, medicina nuclear, controle de qualidade, proteção radiológica

Resumo

Este trabalho fez uso de revisão bibliográfica de guias, normas e legislação, nacionais e internacionais, para identificar as principais atribuições de especialistas em física médica e/ou supervisores de proteção radiológica que atuam em Serviços de Medicina Nuclear no Brasil. A partir do encontrado, foram propostos quatro eixos principais de atuação destes profissionais: Programa de Controle de Qualidade da Instrumentação, Programa de Monitoração Individual e Dosimetria, Gerência de Fontes, Materiais e Rejeitos Radioativos e Programa de Treinamento e Educação Continuada em Proteção Radiológica. Além disso, foram sinalizadas, também, atividades práticas pertinentes a cada eixo. Conclui-se que a atuação de físicos quando assumem a função de Supervisores de Proteção Radiológica na medicina nuclear vai muito além de testes de controle de qualidade de instrumentação. Estes profissionais devem estar inseridos em diversos fluxos, para que possam agir de maneira direta na manutenção de níveis elevados de segurança, eficiência e confiabilidade das práticas conduzidas, contribuindo para implementação de um Programa de Garantia de Qualidade abrangente e eficaz.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. International Atomic Energy Agency. Quality Control of Nuclear Medicine Instruments. IAEA-TECDOC-602. Vienna: IAEA; 1991
2. Brasil. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. [acesso 2021 fev 24]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8080.htm.
3. CNEN, Comissão Nacional de Energia Nuclear. Diretrizes Básicas de Proteção Radiológica. CNEN-NN-3.01. Brasil: 2014.
4. CNEN, Comissão Nacional de Energia Nuclear.Requisitos de Segurança e Proteção Radiolpogica para Serviços de Medicina Nuclear. CNEN-NN-3.05. Brasil: 2013
5. CNEN, Comissão Nacional de Energia Nuclear. Certificação da Qualificação de Supervisores de Proteção Radiológica. CNEN-NN-7.01. Brasil: 2020.
6. CNEN, Comissão Nacional de Energia Nuclear. Serviços de Radioproteção. CNEN-NE-3.02. Brasil: 1988.
7. CNEN, Comissão Nacional de Energia Nuclear. Transporte de Materiais Radioativos. CNEN-NN-5.01. Brasil: 1988.
8. CNEN, Comissão Nacional de Energia Nuclear. Gerência de Rejeitos de Baixo e Médio Níveis de Radiação – CNEN-NN- 8.01. Brasil: 2014.
9. ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução Nº38, de 4 de junho de 2008 – ANVISA Resolução nº38. Brasil: 2008.
10. International Atomic Energy Agency. Quality Assurance for SPECT Systems. IAEA Human Health Series No. 6. Vienna: IAEA; 2009.
11. International Atomic Energy Agency. Quality Assurance for PET and PET/CT Systems. IAEA Human Health Series No. 1. Vienna: IAEA; 2009.
12. International Atomic Energy Agency. Nuclear Medicine Resources Manual 2020 Edition. IAEA Human Healty Series No. 37. Vienna: IAEA; 2020.
13. EANM. Quality Control of Nuclear Medicine Instrumentation and Protocol Standardisation. Vienna: European Association of Nuclear Medicine; 2017.
14. American Association of Physicists in Medicine. Acceptance Testing and Annual Physics Survey Recommendations for Gamma Camera, SPECT, and SPECT/CT Systems. The Report of AAPM Task Group 177. United States of America: AAPM; 2019.
15. American Association of Physicists in Medicine. PET/CT Acceptance Testing and Quality Assurance. The Report of AAPM Task Group 126. United States of America: AAPM; 2019.
16. American Association of Physics in Medicine. Quality Control in Diagnostic Radiology. Reporto of AAPM Task Group 12. United States of America: AAPM; 2002.

Publicado

2021-09-30

Como Citar

Molena Seraphim, D. ., Rodrigues de Pina, D., & Osamu Ohashi, E. (2021). Atuação do físico médico e supervisor de proteção radiológica na rotina de um Serviço de Medicina Nuclear: Além dos controles de qualidade. Revista Brasileira De Física Médica, 15, 640. https://doi.org/10.29384/rbfm.2021.v15.19849001640

Edição

Seção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)